sábado, 26 de dezembro de 2015

Baixo De Oliveira


Esse De Oliveira de seis cordas pertence ao Orlando Sousa. O instrumento estava com os dois tensores quebrados, escala muito rachada e com irregularidades muito severas. Esse problema é muito comum em instrumentos feitos por luthiers da região norte e nordeste. A razão disso é a insistência na utilização de madeiras como ipê ou cetim, que não são muito adequadas à construção de instrumentos musicais. Isso é piorado pelo fato de alguns luthiers insistirem na utilização de madeiras ainda não amadurecidas, o que chamamos de madeira "verde". O cetim e principalmente o ipê mudam muito sua forma e volume depois de alguns meses, resultando em braços empenados e rachaduras na madeira, como vocês podem ver no ipê dessa escala.


Esse foi um dos trabalhos que eu mais gostei de fazer em 2015. Além do baixo pertencer a um amigo muito querido, o trabalho em si foi demorado e delicado, mas rendendo um resultado muito bom. A escala teve que ser removida, os tensores quebrados de péssima qualidade foram retirados, as canaletas dos tensores foram reabertas, instalei tensores de boa qualidade e ação dupla e recolei a escala. Depois da colagem, lixei todo o braço pra retirar o verniz antigo (que estava muito estragado), apliquei algumas demãos de seladora nitrocelulose, tive uma trabalheira danada pra retificar a escala, que era muito torta e ainda fiz a cirurgia plástica de eliminação das rachaduras. Usei trastes Dunlop 6100, coloquei cordas D'addario e fiz a regulagem. 




 

Nenhum comentário: