quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Peavey Wolfgang

Certo, vamos ao fato: a Peavey Wolfgang é a melhor guitarra de rock que eu já toquei. O braço é perfeito e o timbre é gritador, seco e direto. É uma guitarra totalmente sem frescura. Duvido que você tenha vontade de tocar um blues, jazz ou pop nessa guitarra. É um instrumento de hard rock e ponto final. 

Essa é mais refinada que a maioria das Wolfgang. Ela tem um tampo abaulado de quilted maple e o braço em bird's eye maple. Tiago a trouxe aqui logo q ela chegou e notei q ela tinha um probleminha na altura das cordas - mesmo com a Floyd completamente abaixada e com o braço bem reto   as cordas permaneciam altas. Tive q mexer no ângulo do braço pra corrigir isso. Coloquei cordas 0.10 e regulei o instrumento todo - incluindo o D-Tuna, que estava totalmente desregulado. 

Minha nossa senhora das palhetas perdidas, que guitarra fantástica!



9 comentários:

Pietro Polvani disse...

QUE BELEZA DE GUITARRA
SERÁ QUE ACHA E D-TUNA AQUI NO BRASIL?

Gabriel Oliveira disse...

Lindíssima! Esse abaulamento no top dá outra cara pra guitarra. ;)

E esse maple meio escurinho do neck é porque? Velhice?

Rafael Gomes disse...

Pietro, vc encontra D-Tuna no Ebay facilmente.

Gabriel, o braço dela não é tão claro pq ele não é envernizado. Ele tem apenas uma fina camada de seladora, embora alguns dizem q é apenas cera. A tendência é q ele fique encardido com o tempo.

Pietro Polvani disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pietro Polvani disse...

é no e-bay eu já achei,não lembro o preço, mas era caro, mas pra quem tem uma floyd original ou schaller ou gotoh, vale muito a pena, talvez quando eu for encomendar minha original, eu já pegue o d-tuna junto

GiL disse...

Olá! Na verdade eu queria te mandar um e-mail, mas não encontrei um endereço por aqui... da uma apagada nesse coment e me responde pra ziligzil@hotmail.com, blz?
Po, eu sou estudante de eng elétrica aqui na UFES, sou completamente leigo em termos de construção/manutenção de guitarras, mas tenho muito interesse nesse assunto. O problema é que eu não sei de nenhum curso, livro, revista, site, ou qualquer coisa em que eu possa aprender essas coisas. Por isso eu me pergunto, como os luthiers viram luthier? de onde que eles aprendem? como eu faço pra virar um?? Talver seja uma arte que passa de pessoa pra pessoa, mas eu tbm não conheço nenhum luthier nem pra consertar meus intrumentos, imagina pra me pegar como pupilo, hahaha
Por isso eu queria te perguntar aonde eu acho informações ou pessoas com quem em eu possa aprender os segredos dessa profisão que tanto me fascina!
Um abraço! GiL

Rodrigo disse...

cara tive uma dessas.... comprei numa loja que tinha em floripa nas antigas lá na descida da rio branco...loucura....otimo som...firme e com muito brlho

Anônimo disse...

Olá, Rafael.
Primeiramente, faço aqui um elogio pelo magnífico blog. Passo aqui de vez em quando pra aprender um pouco e também admirar as máquinas que passam por suas mãos.
Sou guitarrista amador, mas gosto muito de cuidar das minhas meninas. Adquiri recentemente uma EVH SPECIAL usada, que só não tem aparência de 100% nova por apresentar o maple do fretboard já um pouco sujo. Dei uma pesquisada na internet, mas vi que o assunto comporta muitas discussões. Existe, na sua opinião, algum meio de deixar o maple da escala com aparência de novo sem prejudicar o instrumento(óleo de limão, cera de carnaúba, etc)? Grande abraço. Alvaro

Anônimo disse...

Olá, Rafael.
Primeiramente, faço aqui um elogio pelo magnífico blog. Passo aqui de vez em quando pra aprender um pouco e também admirar as máquinas que passam por suas mãos.
Sou guitarrista amador, mas gosto muito de cuidar das minhas meninas. Adquiri recentemente uma EVH SPECIAL usada, que só não tem aparência de 100% nova por apresentar o maple do fretboard já um pouco sujo. Dei uma pesquisada na internet, mas vi que o assunto comporta muitas discussões. Existe, na sua opinião, algum meio de deixar o maple da escala com aparência de novo sem prejudicar o instrumento(óleo de limão, cera de carnaúba, etc)? Grande abraço. Alvaro