quarta-feira, 23 de junho de 2010

Soraya, a telecaster queimada

Feita com sucata, essa guitarra foi um experimento com pintura que deu errado. Já o sacrifício nas labaredas do rock’n roll foi um experimento que deu certo. A história da Soraya pode ser lida no seu profile do Orkut.

Não se sabe qual a madeira usada no corpo, mas o braço é em marfim com escala escalopada. A guitarra é muito leve. Os trastes que usei foram Dunlop 6000. A ponte e tarraxas são Wilkinson (que por sinal são muito boas). A eletrônica é comum. Uso cordas 0.11 e não tenho preferência por marca.

Essas de fotos são pra celebrar um momento muito feliz: finalmente os captadores de telecaster de ponte Rosar estão disponíveis e os dois primeiros que eu recebi foram o King Mid T (que foi instalado na Soraya) e o meu modelo signature, o RG1 T. Os captadores estão com um acabamento fabuloso e os timbres poderão ser conferidos em breve no Youtube. O captador de braço usado na Soraya passou a ser um dos primerios RG1 em versão normal que foram fabricados







3 comentários:

JMember disse...

Ahg, I need to learn to play guitar. Your's has a nice look btw :D

¢az. disse...

Droga,mais uam telecasterpela qual eu me apaixonei. :(

Anônimo disse...

Olá tens como me passar o diagrama de ligação do captador da ponte modelo King Mid Sergio Rosar da tele com o push-pull, o do braço é o original da Squier.